Ocorreu um erro neste gadget

domingo, setembro 20, 2009

RELATÓRIO DA OFICINA 07- TP4 - UNIDADE 13/14. e 15/16...









No dia 19/09/2009 do mês de setembro foi realizada mais uma oficina do Gestar II com as cursistas de Gouveia. O encontro aconteceu às 8h na Escola Estadual Joviano de Aguiar.
Iniciamos com uma mensagem de texto “As tarefas da educação de Rubens Alves.” Como estávamos sem o  data show nesse dia, entreguei a cópia do texto xerocado para que cada cursista pudesse ler. Após a leitura, refletimos e chegamos à conclusão do tamanho da responsabilidade em lidarmos com essas “ferramentas preciosas” que são nossos alunos. No segundo momento voltamos um pouco nos depoimentos da TP3 unidade 11/12, pelo motivo de faltarem algumas cursistas no encontro passado e quanto às outras que compareceram, o tempo foi pouco para tanto debate. Decidi que iria dar a oportunidade de todas relatarem suas experiências. Foi muito válido, pois a professora Adriana me chamou  muita a atenção do relato com seus alunos. Segundo ela, o dia que foi aplicar a prova diagnóstica, solicitada pela nossa coordenadora Guiana, foi um alvoroço na sala, porque os alunos não queriam fazer a prova e sim oficinas como a anterior. Apesar de ser uma turma agitada e difícil, ela combinou com os alunos que fariam então a prova no dia seguinte, e aproveitou para fazer o avançando na prática da unidade 11/12 da TP3. Os alunos ficaram felizes e já foram preparando em grupos para confeccionarem os cartazes. Como disse ela, “foi uma revelação para mim.” Pois nem acreditei que sairia tanto trabalho bom. Ficaram perfeitos, e o mais interessante para os alunos foi porque eles sentiram lisonjeados por uma professora de ciências “Cidinha” ter pedido para xerocar a receita... isso foi tudo .Colocaram os cartazes na escola para que todos pudessem ver e apreciar o trabalho deles. Foram muitos os elogios. Fiquei super feliz, pois é o Gestar II sendo aplicado e obtendo resultados surpreendentes, mesmo as turmas difíceis estão adorando as oficinas, para eles tudo é novidade. As outras professoras, algumas levaram as pastas, outras estão terminando o trabalho, pois irão fazer um júri simulado e os alunos querem que tudo saia perfeito. Pediram a professora Desirê para dar um tempinho, pois iriam procurar advogados para instruí-los. A professora Sílvia e Jaqueline fez o mesmo trabalho na sua Escola Estadual Aurélio Pires e acharam um sucesso. Os alunos defenderam e acusaram tão bem que ela e o júri tiveram dificuldade em decidir quem sairia o vencedor. “O advogado de defesa ou acusação”. Eles souberam argumentar tanto que se tornou complicado a decisão. Mas como ela mesma disse foi um simulado, então deu por empate. Ela relatou que foi excelente o trabalho, que ficou admirada de uma aluna que simulou sendo advogada, disseram que ela usava termos, expressões tão ricas. Talvez tenha sido instruída pela mãe que é advogada. “Ah foi um texto tirado do livro do 7º ano “A doida”“. ”Português Linguagens”. P. 118/119120. Todos os alunos participaram de alguma forma. A Juliana e Andréia também relataram, só questionaram o pouco tempo para aplicar as oficinas. Trarão os portifólios no próximo encontro, pois faltam ainda colocar fotos dos alunos.
No terceiro momento iniciamos a TP4, unidade 13/14 e 15 e 16 por estarmos atrasadas.
Começamos nossa conversa apresentando os conceitos individuais das cursistas sobre Letramento e Alfabetização. Para ser letrado, é preciso ser alfabetizado? A Sílvia como participa do GDP da escola e o assunto é esse, ela expôs de forma tão clara que mesmo quem não soubesse entenderia, mas não foi o caso das nossas cursistas, pois todas saíram muito bem e falaram sobre o assunto de forma segura. Finalizamos com a seguinte colocação: ”Letrado não significa ser alfabetizado, mas ter a capacidade de ler o mundo”; “ser letrado é ter a capacidade de transpor conhecimento, de aplicá-lo”; “no letra mento há a utilização da escrita, de acordo com a função social dela, e o alfabetizado tem domínio da escrita.”.
Conclui-se então que ser letrado é como dito, ter a habilidade de ler o mundo, mesmo que não se tenha passado pelo processo de alfabetização na escola.
Foi pedido por mim que elas abrissem a TP4. Comentamos a lição de casa, o ampliando referência e discutimos algumas páginas com; P.46,49; 56 67,97. Como o tempo foi pouco para tantas discussões, deixamos os relatos dos avançando na prática para o próximo encontro. Até lá então...
OBS: No próximo encontro falaremos das oficinas das unidade 13/14 e 15/16.








OBS: Foi servido um lanche para as cursistas de português e matemática oferecido pela diretora Alice da escola Aurélio Pires. Na nossa cidade as diretoras são muito dedicadas, principalmente referindo os cursos que sejam para o crescimento dos nossos alunos. Cada encontra uma diretora oferece o lanche. A nossa secretária de educação já ofereceu, a Dione da escola Joviano de Aguiar. Agora no próximo encontro será a Diretora Mariléia da escola Mata machado... ( aguardo viu Marileia?)( rsrsrsrsrs ) .

Nenhum comentário: