Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, novembro 19, 2009

COESÃO TEXTUAL

Coesão textual

Ingedore Koch conceitua a coesão como:
O fenômeno que diz respeito ao modo como os elementos lingüísticos presentes na superfície textual se encontram interligados, por meio de recursos também lingüísticos, formando seqüências vinculadoras de sentido.
Para Platão e Fiorin, a coesão textual: é a ligação, a relação, a conexão entre as palavras, expressões ou frases do texto. Segundo esses dois autores, há dois tipos de coesão:
> a por retomada ou por antecipação de termos;
> a por encadeamento de segmentos textuais ou elementos conectivos.
Vamos tratar do segundo caso.
Elementos conectivos
Como qualquer pronome, os relativos são usados em uma oração para se evitar a repetição de termos anteriormente referidos; mas servem também como elementos conectivos, como elementos de coesão, entre os termos da oração ou entre as orações.
. Comprei um livro que me foi muito útil para realizar a prova.
Na frase, o pronome que substitui livro, anteriormente referido, interligando as orações. Sem o uso do pronome, teríamos o seguinte texto. Comprei um livro. O livro me foi muito útil para realizar a prova.
É possível o uso de formas variáveis do pronome que: o qual, a qual, os quais e as quais. Devem, no entanto, ser utilizadas com critério para se evitar o pedantismo, o texto que se quer "difícil" e "intelectualizado". O mais correto é usá-las para impedir ocorrência de ambigüidade, como no exemplo abaixo:
. Conheci o pai da Joana, que me pareceu muito inteligente.
Quem é inteligente: o pai ou Celina? Neste caso, a variação do pronome que exclui a ambigüidade. Conheci o pai da Joana, o qual me pareceu muito inteligente. Conheci o pai da Joana, a qual me pareceu muito inteligente.
Além do pronome que, vejamos outros dois relativos, cuja utilização pode criar algum embaraço no momento de se redigirem textos.
Onde: tal pronome deve ser usado apenas para indicar lugar.
Podemos, eventualmente, substituir tal pronome por um outro: em que (no qual, na qual, nos quais, nas quais).
Prática muito comum, no entanto, é usar o pronome onde como uma espécie de curinga, criando-se o fenômeno do "ondismo", ou seja, o pronome passa a ser usado em diversas relações oracionais.
. O século XXI iniciou-se com uma nova guerra, onde acho que isso é errado.
Neste caso, não cabe o pronome onde, exatamente por não haver uma referência a lugar, por isto, neste caso, o correto é escrever:




Nenhum comentário: